março 2020 – Allaser
Pular para o conteúdo

MARATONA ALLASER ONLINE

Olá Laserterapeutas!

Estamos todos num momento único tendo que nos retrair socialmente para enfrentar esse terrível pandemia.

É momento de união e também de buscarmos soluções e de formas criativas para nos ajudar como pessoas e como profissionais.

A Allaser cursos procurou buscar um “como” para ajudar nossos clientes nesse momento de reclusão.

Claro que o cancelamento dos cursos presenciais foi a primeira atitude mas buscando uma resolução entendemos que facilitar nosso aluno nesse momento de crise é o mais importante!

E foi pensando nisso que criamos a MARATONA ALLASER ONLINE! Serão 11 dias de cursos com 50% de desconto e muitas aula gratuitas para que o profissional laserterapeuta aproveite o momento em casa para se atualizar!

Anote: de 23/03 à 02/04!!!

Veja a programação completa clicando   AQUI!

E programe-se para aproveitar essa incrível oportunidade de aprendizagem em Laser!!

um grande abraço

Daiane T. Meneguzzo

#fiqueemcasa

#maratonaallaser

LASERTERAPIA NA PARESTESIA

A Parestesia é uma alteração ou ausência de sensibilidade nervosa que pode acontecer após um procedimento cirúrgico. Por exemplo, após uma extração dental parte da língua e região dental podem ser acometidas.

 

Enxertos e implantes também podem causar falta de sensibilidade em lábios e queixo. Os sintomas são variáveis desde a ausência total de sensibilidade, até sensações de peso, formigamento, dor e coceira. Dificuldades ao comer, babar-se, dificuldade para passar batom e beijar estão entre as principais queixas dos pacientes.

 

É muito comum os pacientes relatarem: “FIZ A CIRURGIA DE REMOÇÃO DO SISO E AGORA NÃO SINTO PARTES DA MINHA BOCA. O QUE FAZER?“.  Nesta situação ambos paciente e profissional ficam abalados, mas, assim como outros riscos, a parestesia faz parte das possíveis complicações cirúrgicas.

 

E é importante ficar claro que seu acontecimento pode não tem a ver com a destreza do profissional e muitas vezes é devido a variações anatômicas ou até mesmo decorrentes das forma como tecido nervoso respondeu ao estímulo – que em outros pacientes teria sido normal.

 

O tratamento convencional é o uso de vitaminas do complexo B, exercícios e tempo. As vezes demora anos para a sensibilidade voltar, as vezes alguns dias, e há casos que o paciente se acostuma com a parestesia e isso passa a deixar de ser um incomodo.

 

Uma alternativa de tratamento  já bastante relatada na literatura é a fotobiomodulação com laser em baixa intensidade, ou simplesmente, Laserterapia.  O Laser doa energia luminosa favorecendo a regeneração do tecido nervoso lesionado o que leva a recuperação da sensibilidade. O tratamento é vantajoso porque atua diretamente no local onde houve o problema e não apresenta efeitos colaterais.

 

Por ser um risco em qualquer cirurgia, e um risco muitas vezes inesperado, o ideal seria o profissional introduzir o laser ainda no pós operatório da cirurgia. O paciente só tem a ganhar! Terá uma regeneração mais rápida, sem dor e edema evitando também o uso de anti-inflamatórios e analgésicos e ainda de quebra se houve algum tipo de lesão no nervo a laserterapia já acelera sua regeneração e as vezes o paciente nem chega a sentir os sintomas da parestesia.

 

A técnica é rápida e indolor, e o número de sessões varia com o tempo da parestesia. Lesões recentes tendem a melhorar mais rápido, já cheguei a tratar parestesias com 6, 8 sessões. Lesões mais antigas o ideal é reavaliar a cada 10 sessões. É muito importante no entanto o profissional estar atento as necessárias alterações dosimétricas, já que o nervo pode se acostumar com o estímulo e dar um falso resultado que o laser não tem mais ação.

 

De qualquer forma, em ambos os casos, recentes ou antigos, a melhora clínica é sempre percebida.

 

Se você é paciente, aí vai um dica, procure um dentista laserterapeuta, se você é profissional que tal conhecer mais sobre o tratamento a laser?

 

Abordamos como realizar o tratamento de parestesia no curso de Habilitação em Laserterapia exclusivo para dentistas na SLMandic!

 

um grande abraço,

Profa. Dra. Daiane T. Meneguzzo

 

LASERTERAPIA E TATUAGEM

A mensagem é: Não tatue locais que você possa ter dor!

 

Parece engraçado mas esse tema é um dos mais questionados pelos profissionais, porque cada vez mais as pessoas estão se tatuando.

 

Mas vamos entender o que acontece quando irradiamos uma tatuagem?

 

A primeira coisa, que é o motivo do questionamento, é que a sensação ao receber a laserterapia é de queimação, ou seja, o paciente não suporta a irradiação.

 

E isso ocorre porque a luz para ser absorvida precisa de alguma substância absorvedora. Essa substancia chamamos de cromóforo. Por exemplo, na fotossíntese o cromóforo é a clorofila,  no microondas da nossa casa (que também é uma radiação que precisa ser absorvida) o cromóforo é a água.

 

Os lasers que utilizamos para terapia possuem diferentes cores, ou seja, diferentes comprimentos de onda. Os mais utilizados no Brasil são o vermelho (660nm ou próximo) e o infravermelho (geralmente 810 ou 830nm), justamente as radiações que tem muita afinidade por pigmentos.

 

Ainda,  pigmentos negros absorvem muitos comprimentos de onda sendo então as tatuagens fortes absorvedoras de luz, principalmente as que usam o pigmento escuro, quase a maioria delas.

 

Desta forma,  toda a luz que está sendo emitida pelo Laser (mesmo que usando Laser de baixa potência) é absorvida pelo pigmento que está na pele e por ser muito alta essa absorção a energia é então transformada em energia térmica, gerando calor e podendo inclusive queimar a pele, causando pequenas lesões.

 

E como podemos  amenizar isso?A primeira coisa é fugir do local da tatuagem se for possível.  Ainda pode-se: 1. Mudar a técnica de irradiação ou 2. Optar por usar laser pulsado. 

 

Bom, agora fica fácil de entender porque o subtítulo deste podcast é: “Não tatue locais que você possa ter dor! “ 

 

Os benefícios da Laserterapia como modulação da inflamação e analgesia só ocorrem se a luz chega no tecido alvo. E a técnica é justamente não invasiva porque atravessa a pele, e por isso a tatuagem pode ser um fator de impedimento para essa maravilhosa terapia.

 

Um grande abraço,

Profa. Dra. Daiane T. Meneguzzo

O QUE VOCÊ QUER PARA VOCÊ EM 2020?

Busque excelência sempre. 
Um fazer acontecer efetivo deve sempre estar ancorado na busca do melhor, do ideal. Quão próximos chegamos à perfeição é outra coisa. Porém, ela deve sempre ser o alvo.📌

Independente da sua especialidade ou não (acho que hoje faltam bons clínicos gerais🤔), devemos ter bases sólidas sempre optando pela qualidade e não praticidade.

Qualidade é sinônimo de entregar o melhor.🔝 Entregar o melhor de mim como profissional da saúde (e ser humano🤝), entregar o melhor das técnicas🔬 que aprendi, ou mesmo entregar tecnologias atualizadas (como a Laserterapia⚡️). Por exemplo, considerando que 90% da população apresenta algum grau de gengivite, a maioria dos dentistas realiza o tratamento da gengivite que pode incluir a Laserterapia. O que isso agrega? Efeito imediato no auxílio de resolução da inflamação, ausência de dor e redução no sangramento. Melhor para o paciente e para você, profissional.

Portanto, trabalhar com tecnologia⚡️, conhecimento📗e humanização 🤝 é entregar o melhor com qualidade!
Busque a excelência, sempre!

Super abraço, Cassia e Equipe Allaser

LASER NAS DOENÇAS GENGIVAIS

A etiologia da doença periodontal não muda.

Então o que mudar no tratamento periodontal?

 

Continuar com a velha e boa raspagem, instrução de higiene oral… Sim! Sempre!

Mas agregar tecnologia é imprescindível nos dias de hoje. E você sabia que em TODAS as patologias gengivais você tem benefícios utilizando a Laserterapia? E estou afirmando isso considerando o uso do laser de baixa potência, que não corta, não aquece e acima de tudo é indolor para o paciente. Hoje para ser um profissional  bom no mercado precisamos nos diferenciar. E como? Não precisa complicar. Toda a diferença pode estar em detalhes. Detalhes de como o seu cliente sai de sua cadeira após uma profilaxia ou uma raspagem/curetagem, por exemplo. Podemos usar o melhor ultrassom ou cureta, mas se o paciente vai embora com sangramento ou dolorido… Acabou. Neste detalhe pós procedimento, eu SEMPRE uso o Laser.  Menos  de 5 minutos que fazem total diferença na satisfação final!  No caso da gengivite, a Laserterapia atua na modulação da inflamação por meio da redução do stress oxidativo e modulação dos inibidores inflamatórios, por exemplo.

 

 

Entretanto, na Periodontia, creio que o diferencial que o Laser mais me encanta é a Terapia Fotodinâmica. Por quê? Nós temos uma conversão da energia luminosa do Laser em energia química que mata microrganismos (bactérias, fungos ou vírus) por meio da produção de radicais livres e oxigênio singleto. Ou seja, você tem aplicabilidade da Laserterapia e, TODAS as situações clínicas periodontais como um abscesso, peri implantite, Gengivites Necrosantes, periodontites entre outros. A Terapia Fotodinâmica permite o efeito fotoquímico com uso de um fotosensibilizante (corante) de baixa concentração e o Laser!  Não há relatos de resistência microbiana na literatura. Outro ponto positivo é a ação local e não sistêmica. Por que ter o ônus dos efeitos colaterais das drogas medicamentosas se posso ter uma ação local? 

Essa ação antimicrobiana local ainda evita a propagação da bactérias para o restante do corpo. Medicina Periodontal apresenta pesquisas confirmando a letalidade das bactérias da boca.

 

 

Finalmente, gostaria de enfatizar o uso do laser de alta potência ou cirúrgico que tem como mecanismo de ação a fototermia.

Ou seja, converter a energia luz em energia térmica. É fantástico realizar cirurgias de freios, gengivoplastias, peelings gengivais, hemangiomas, fibromas, granulomas sem sangramento e sem sutura! E a prescrição de anti inflamatórios e antibióticos se torna desnecessária devido à altíssima temperatura que promoveu a descontaminação do sítio cirúrgico.

Estou certo de que a vida do Periodontista ou do clínico geral que deseja um tratamento de qualidade e excelência para seu paciente deve incluir a Laserterapia.

Evidências científicas e os resultados clínicos suportam o uso da Laserterapia na Periodontia.

Pesquisa e Clínica caminhando lado a lado em benefício do paciente.

 

 

Com muito carinho e dedicação,

preparamos um curso Avançado em Laser na Periodontia.

 Aguardo você!