You are currently viewing As 10 dúvidas mais frequentes sobre o ILIB

As 10 dúvidas mais frequentes sobre o ILIB

A ação sistêmica do ILIB ou Fotobiomodulação sanguínea tem sido cada vez mais utilizada pelos profissionais de saúde e seus efeitos benéficos têm atraído cada vez mais pacientes.

A utilização da luz como fonte energética para o restabelecimento da saúde têm sido utilizada desde o surgimento do primeiro Laser em 1960.

A ação local da luz laser em baixa intensidade caracteriza a Laserterapia, que acelera a regeneração tecidual e promove analgesia a partir da modulação da inflamação. 

Já a ação sistêmica da luz laser caracteriza a técnica do ILIB, onde a luz é feita não sobre a área lesionada como acontece na técnica local, mas sobre o sangue, de forma invasiva (intravascular via cateter) ou não invasiva, de forma transdêrmica ou transmucosa sobre grandes vasos periféricos.

Pode-se aplicar a técnica isoladamente ou em associação com a laserterapia local, ou mesmo em tratamentos convencionais.

Com o intuito de melhor informar profissionais e pacientes sobre a técnica do ILIB, separamos as 10 principais dúvidas no assunto:

O que é o ILIB?

Primeiramente, a palavra ILIB significa “Intravascular Laser irradiation of Blood” (irradiação intravascular do sangue com laser).

Essa técnica surgiu na Rússia e tem como alvo a irradiação sanguínea. Além de utilizar a técnica intravascular (ILIB), os próprios Russos também utilizam técnicas não invasivas sobre grandes vasos sanguíneos.

No entanto, pela menor potência de equipamentos russos disponíveis a mais efetiva sempre foi a intravascular.

Atualmente no Brasil, usamos exclusivamente as formas transdérmica ou transcutânea. Sua penetração e alcance se devem a modernidade dos novos equipamentos de Laser, cuja potência é quase que cem vezes maior que a utilizada na técnica original. Isso somado a grande vantagem de não ser invasiva e de fácil aplicação.

Além disso, a energia da luz laser é absorvida por diversos componentes sanguíneos que desencadeiam respostas fisiológicas. Sendo um mecanismo energético e não farmacológico, os efeitos clínicos são variáveis de acordo com as alterações presentes em cada indivíduo, e quanto mais alterado maior a absorção energética.

Por fim, quando não absorvida, a luz perde-se pelo espaço sem prejuízo a nenhum órgão ou estrutura por onde passa.

Quais são os efeitos do ILIB?

Em síntese, a ILIB ou Fotobiomodulação sanguínea promove a normalização das propriedades hemorreológicas do sangue.

Isso melhora a viscosidade sanguínea, aumenta a biodisponibilidade de NO (óxido nítrico) que, entre outros tantos benefícios, contribui para a melhor função vascular e normalização da pressão arterial, além de normalizar o transporte de oxigênio pelas hemácias.

Ainda, normaliza a ação da hemoglobina no tamponamento do sangue, e contribui para a reativação de enzimas anti-oxidantes endógenas como a SOD (superóxido desmutase) levando à homeostase ácido-base sanguínea.

Do mesmo modo, a luz também tem ação direta sobre células de defesa circulantes e seus efeitos imunomodulatórios, apesar de temporários, ajudam o organismo no combate a diversas situações clínicas como, por exemplo, a gripe.

Desta forma, a técnica leva o indivíduo ao seu funcionamento ideal, e os efeitos são facilmente percebidos, como: melhora na qualidade do sono, relaxamento ou energização, redução na dor, redução no edema, equilíbrio hormonal ou até mesmo a potencialização da ação dos medicamentos.

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR O E-BOOK https://lp.allaser.com.br/ebook-ilib/

Autoria:

Profa. Dra. Daiane T. Meneguzzo

Co-fundadora de Allaser, Graduada e Mestre em Odontologia pela USP-SP, Doutora pelo centro de Lasers e Aplicações do IPEN, CNEN, USP-SP, Habilitada em Laserterapia, Pós-Graduada em Acupuntura pela ABA/IBRAHO, Coordenadora dos Cursos de Habilitação em Laserterapia da São Leopoldo Mandic, Coordenadora do curso de ILIB/Fotobiomodulação Sanguínea pela Allaser Cursos.

Deixe um comentário